26.5.09

mudança

páro no meio do meu dia para refletir sobre os últimos acontecimentos. os últimos acontecimentos são uma mudança de curso. podem me levar onde eu ainda não fui... são mudanças. são muitas. são profundas. grandes mudanças podem remover o lodo colado no fundo do tanque. arrancá-lo fora. levar tudo o que não serve mais, o que é inútil. o duro é quando você se prende aos velhos padrões, aos velhos hábitos, ao lodo. o lodo não é o fundo do tanque, mas ele está lá há tanto tempo que você nem lembra mais como é o fundo do tanque sem ele... qual a cor, a textura, se é quente ou se é frio... se você gostava do fundo do tanque antes do lodo chegar...
os hábitos não são você, por mais antigos que sejam, por mais enraizados que estejam... talvez isso seja asssim há tanto tempo que você nem consiga de fato se dar conta do que não é você. ou do que É.
temos oportunidades de fazer limpezas diárias em nossas vidas, e assim, talvez, evitar que as grandes mudanças tenham que ocorreer, mas sobrevivendo ao turbilhão de acontecimentos e emoções e desejos, não as fazemos. as mudanças são a porta de entrada para o novo, para o desconhecido, para o intocado... dão medo! mas, certamente são o portal do novo que só pode chegar quando o velho sai. talvez seja melhor não criar resistência. talvez seja melhor viver a mudança, pois ela tem que acontecer... então, viva-a de forma consciente: dialogue com ela. pergunte honestamente a que veio. pergunte o que quiser, honestamente. olhe para ela de frente, não de lado, desconfiado, meio não querendo olhar, mas de frente, nos olhos. melhor ainda, olhe para ela com o coração. com certeza ela veio pra remover o lodo que ficou espesso porque você não o removeu logo que ele chegou.