16.3.11

equilíbrio, mas como?

o importante é mantermos o eixo alinhado.
assim podemos variar nas formas e tamanhos, sendo flexíveis e permanecendo de pé!
essa sempre foi uma questão e tanto para mim.
às vezes penso que essa palavra contém tanta profundidade que nem fundo tem!
equilíbrio, equilíbrio, equilíbrio...
mas como? como? como?
cedi aos anseios mais urgentes da vida [minha e de meu filho], sem muita cobrança, sem muita rigidez, sem me revoltar. aceitei o que tinha que ser.  estes anseios urgentes que falo podem resumir-se a apenas uma palavra: sobreviver! ou destilarem-se em algumas mais, tais como: casa, comida, educação, trabalho... como acabei de ver num filme: "sobreviver vem antes de socializar, até mesmo no dicionário!" confesso que nem pensei se a frase é boa, mas que tem um tanto de verdade, ah, isso tem!
para sobreviver isolei-me neste último mês!! aliás, pra ser bem honesta com todos, principalmente comigo mesma e com o propósito de escrever aqui, isolei-me muito neste último mês e muito mais do que fiz no último ano inteiro! agora, dizendo isso, entendo que talvez parar nesse momento para escrever esse post, manifestando a vontade de novamente dividir, pode significar que consegui. sobrevivi!
parece que acordei de um transe. meu corpo todo está dolorido e a cabeça pesada. não tenho meditado, orado, praticado yoga, nem me alimentado como eu mesma faço questão de falar às pessoas que amo que seria melhor que elas fizessem... mas sobrevivi.
hoje, acordei com o coração mais leve e um banho de fé me cobriu. então pensei, não, não pensei, maa senti que é só uma questão de tempo para eu estar onde quero estar... isso me coloca diante da tal da ansiedade, mas aí é outro assunto...
vocês podem se perguntar: "ok, camila querida, você sobreviveu. mas à que?"
e eu posso lhes dizer que foi à minha própria tsunami e ao meu próprio terremoto!
pessoas como eu - e acreditem, por favor, existimos de verdade! - podem atravessar a uma tsunami e a um terremoto com uma certa frequência por isso, o difícil, difícil mesmo, é manter o tal do equilíbrio!
a vida ensina muito e sempre faz com que repensemos e reavaliemos os conceitos que podemos apreender em relação à qualquer circunstância e este último episídio da minha vida me ensinou, basicamente, que equilíbrio está muito mais relacionado à se desequilibrar de forma consciente, do que acreditar em manter o equilíbrio com rigidez e a qualquer custo!
valiosa lição...
então, posso confessar que tenho um pouco a sensação de ter voltado para aquele fatídico momento em dezembro de 2009, logo antes de sacudir a minha vida e mudar tudo de uma hora pra outra. mas se paro, respiro fundo e avalio a lição que tive com tudo isso tenho a clarividência que não voltei ao mesmo lugar, pois além de estar um "pouco mais acima" sou também uma pessoa com duas novas lições: aprendi a manter o equilíbrio e aprendi a transitar entre lá e cá.
aho! graças!!
mãe, pai, gaia,
estou pronta para a próxima jornada!!!
que venham a paz, a luz, o amor, o encanto e a abundância que estão em meu céu de 2011. e que eu possa manifestá-los neste e no outro mundo.