28.6.16

A Profecia Celestina

“Olhe não apenas com a mente, mas com a alma. A vida que está chegando já está diante de nós, esperando apenas o mundo se abrir. Apenas olhe mais de perto. Encontre os olhos para ver.”
O filme relata a história da redescoberta de 8 pergaminhos escritos em 5 ou 6 aC. que foram escondidos por padres franciscanos nas montanhas do Peru, em 1622. 
Os pergaminhos falam sobre um mundo sutil, de energia, de intuição, de sincronicidade - fatos que nos colocam diante de pessoas, lugares e situações certas para a experiência que temos que passar - informando sobre uma ordem universal que governa e cuida de tudo e de todas as coisas. A profecia nos aponta que “o conflito, o caos do mundo, está nos mudando”, mais especificamente que a violência do mundo está nos despertando de alguma maneira e que a partir de então olharíamos para tudo de modo diferente, durante os primeiros anos deste século.
A profecia é revelada em insights descritos em 8 pergaminhos já encontrados e mais um ainda sem paradeiro definido.
O 1º e 2º pergaminhos falam sobre os mistérios do mundo que nos conduzem a outras formas de viver, de nos relacionar, nos colocam de frente com o mundo real, com ele é de fato, e não como o vemos com o nosso olhar limitado. Nos diz que o mundo está começando a mudar e que quanto mais nos abrimos para esta descoberta, mais o mundo se transforma diante dos nossos olhos.
O 3º e 4º revelam a rede de energia divina que origina e constitui todo o mundo. Esta energia flui para todas as coisas e para as pessoas. As energias fluem de pessoas para pessoas e da natureza para as pessoas. Nós, humanos devemos redescobrir a fonte de energia existente no interior de cada um, deixando de vampirizarmos uns aos outros, como acontecem na maior parte das relações.
O 5º e 6º nos colocam diante da realidade de que os conflitos no mundo são gerados por inúmeros anos de desconexão com a fonte de energia divina. Desconexão que nos tornam inseguros, incompletos, vazios. A conexão é necessária para que alcancemos os mais altos níveis de consciência, onde encontramos a verdadeira ligação com a energia divina e nos sentimos conectados com algo maior, como uma rede, nos sentimos parte de uma fluxo maior de evolução e que estamos aqui para realizar algo.
O 7º e 8º nos confrontam com questões sobre esse algo que viemos realizar. Se estivermos alinhados com esse propósito, conduziremos as pessoas ao redor a esse mundo que se abre para nós. Nesse momento estamos seguindo nossa intuição, que nos leva ao fluxo cósmico. Ao invés de tirarmos energia um dos outros, nos tornamos doadores de energia, em todos os momentos. Esse é o segredo para nos mantermos ligado, em fluxo. A energia que se doa é o amor. A sua energia, o seu amor, se deselvolve em você, inicialmente, e flui para os outros.
No entanto, o 9º pergaminho não existe pois é a própria experiência sendo vivenciada: uma doação mútua de energia entre as pessoas, uma energia que se amplifica em todas as direções e coloca a humanidade em outro nível da evolução, com olhos para enxergar o paraíso onde já vivemos. “A direção interna desenvolve o mundo em direção a um paraíso que já está aqui. Saber isso é conhecer o nosso destino.”
Autoridades do governo tentam reprimir a divulgação do conteúdo dos pergaminhos, pois sabem do perigo que é a descoberta do poder individual de cada um.