27.12.10

Feliz olhar novo!

O grande barato da vida é olhar para trás e sentir orgulho da sua história. O grande lance é viver cada momento como se a receita da
felicidade fosse o AQUI e o AGORA. Claro que a vida prega peças. É lógico
que, por vezes, o pneu fura, chove demais... mas, pensa só: tem graça viver
sem rir de gargalhar pelo menos uma vez ao dia?
Tem sentido ficar chateado durante o dia todo por causa de uma discussão
na ida pro trabalho?
Quero viver bem.
2010 foi um ano cheio. Foi cheio de coisas boas e realizações, mas também
cheio de problemas e desilusões. Normal.
Às vezes se espera demais das pessoas. Normal.
A grana que não veio, o amigo que decepcionou, o amor que acabou. Normal.
2011 não vai ser diferente.
Muda o século, o milênio muda, mas o homem é cheio de imperfeições, a
natureza tem sua personalidade que nem sempre é a que a gente deseja, mas e
aí? Fazer o quê? Acabar com seu dia? Com seu bom humor? Com sua esperança?
O que eu desejo para todos nós é sabedoria, luz, discernimento e
equilibrio! E que todos saibamos transformar tudo em uma boa experiência!
Que todos consigamos perdoar o desconhecido, o mal educado. Ele passou na
sua vida. Não pode ser responsável por um dia ruim...
Entender o amigo que não merece nossa melhor parte. Se ele decepcionou,
passe-o para a categoria 3. Ou mude de classe, transforme-o em colega. Além
do mais, a gente, provavelmente, também já decepcionou alguém.
O nosso desejo não se realizou? Beleza, não tava na hora, não deveria ser
a melhor coisa pra esse momento (me lembro sempre de um lance que eu adoro:
CUIDADO COM SEUS DESEJOS, ELES PODEM SE TORNAR REALIDADE).
Chorar de dor, de solidão, de tristeza, faz parte do ser humano. Não
adianta lutar contra isso. Mas se a gente se entende e permite olhar o
outro e o mundo com generosidade as coisas ficam diferentes.
Desejo para todo mundo esse olhar especial.
2011 pode ser um ano especial, muito legal, se entendermos nossas
fragilidades e egoísmos e dermos a volta nisso.
Somos fracos, mas podemos melhorar.
Somos egoístas, mas podemos entender o outro.
2011 pode ser o bicho, o máximo, maravilhoso, lindo, espetacular... ou...
pode ser puro orgulho!
Depende de mim, de você!
Pode ser.
E que seja!!!
Feliz olhar novo!!!
Carlos Drummond de Andrade

20.12.10

Dicas para driblar a ansiedade e o estresse


1- Desintoxique-se: pratique a alimentação desintoxicante diariamente, fazendo uso dos sucos desintoxicantes de 1 a 3 vezes por dia, sendo o primeiro em jejum, logo ao levantar. Desta forma já fica declarado: desejo tomar este banho interno diariamente, favorecendo assim, que todo o meu organismo se alivie de toda a carga tóxica que existe em mim. Seja no físico, emocional, psicológico ou até mesmo no espiritual.

2- Alongue-se: já temos falado sobre os benefícios da atividade física como um excelente antídoto para a ansiedade e o estresse. Agora, uma esticada de cinco minutos antes de dormir pode fazer maravilhas pelo sono. Exercícios simples e rápidos dão uma mão para que o corpo comece a se desligar das tensões.

3- Aceite o ritmo da vida: as leis naturais obedecem a um ritmo. Existe hora para acordar, se alimentar, trabalhar e relaxar. O organismo gosta de rotinas e elas podem favorecer no combate à ansiedade fora dos trilhos. Quanto mais regular o horário das refeições, melhor a digestão e o aproveitamento dos alimentos, tão fundamental num organismo debilitado.

4- Faça arte: ela nos ajuda a expressar emoções bloqueadas, trazendo alívios e soluções. Cerque-se de cores, papéis, pincéis, tesoura, massinha e deixe a sua criança se divertir e brincar. Faça colagem ou risque e rabisque mandalas. Seja o que fôr, permita que seja catártico e divertido. Chore, ria, dance e cante, pois tenha certeza que seus males serão espantados.

5- Fique só: experimente ficar por um tempo escutando e dando atenção somente para vpcê. Não deixe ninguém importuná-lo. Então, use esse momento precioso para o que quiser: refletir sobre a vida, ouvir música, ver fotos. Desligue o telefone, computador e tranque o quarto. O importante é dedicar-se a você.

6- Pratique yoga, tai chi chan ou alguma prática oriental: sem risco de se machucar, você ainda re-aprende a respirar, meditar e flexibilizar todas as suas couraças musculares.

7- Receba massagem: pode ser shiatsu, ayurvédica, relaxante, enfim, aquela que te permite relaxar e sair renovado. Coloque na sua agenda: 1 vez/semana e não abra mão deste carinho/presente para você mesmo.

8- Valorize bons momentos: tenha a gratidão de ter sempre por perto de seus pensamentos recordações de bons momentos, quando a felicidade ocupou todos os seus espaços. É responsabilidade nossa mudar os pensamentos destrutivos e negativos e colocar no lugar os bons pensamentos. Faça uma lista destes momentos e use-os toda vez que vierem aqueles filmes repetitivos que não constroem NADA de bom para a sua vida.

9- Não exagere: a ansiedade gosta de transformar copos de água em tempestades. Neste momento, rir é o melhor remédio, porque sinceramente, é patético pensar que um copo de água vai alagar e submergir sua vida.

10- Pegue leve: todo mundo tem o direito de errar ou de cometer uma gafe de quando em vez. Excesso de controle e perfeição só serve para FRUSTRAR e deprimir. Nunhum coração aguenta isso. Tente ser mais seu amigo, mais condescendente, mais tolerante e mais LIGHT.

11- Busque contato com a natureza: ela faz um fio terra e te descarrega de tudo que está descompensado. Portanto, caminhe descalço na terra, na praia, tome banho de mar ou cachoeira, abrace árvores, admire o horizonte, a copa das árvores, o vôo e o canto dos pássaros. Vai gandaiá no mato.

12- Diga-me com quem andas: não se deixe rodear de pessoas amargas, pessimistas, negaticas e muito críticas e nervosas. Cuidado: tudo isso pega. Sempre que possível afaste-se de quem te leva para baixo. E, quando fôr inevitável, prepare-se para ser prático, objetivo e sair fora o mais rápido que puder.

13- Aproveite o trânsito: tenha sempre no carro CDs ou fitas de músicas, piadas, ou palestras que te elevem, te tornem uma pessoa mais esclarecida, ou simplesmente mais feliz.

14- Faça uso de terapias alternativas: escolha aquela que você sente mais sintonia. Pode ser floral, aromaterapia, fitoterapia, cromoterapia, homeopatia, enfim. Elas podem ser uma excelente ferramente de te acalmar, te preparar para chegar mais dentro de você, te despertar. Procure saber um pouco antes para fazer sua escolha. Depois procure um bom profissional.

15- Medite: existem tantas técnicas. Uma delas será a mais adequada para você. Existem as meditações ativas do Osho, as meditações com os mantras, as meditações budistas, aquelas que trabalham com visualizações. A própria prática da yoga ou tai chi chuan já pode te induzir a um estado de meditação. Qualquer que seja a técnica eleita, o espaço será sempre o mesmo: o de você ficar mais presente, mais atento ao que seu coração fala, o universo te sinaliza e oferece, ao aqui e agora, ao presente. Somente deste espaço você poderá tomar decisões lúcidas, conscientes e mais vitoriosas.

Em tempos de grandes mudanças é sempre bom lembrar...
Tenho esse texto há muito tempo. Ele não é meu, acho que é da Conceição Trucon, do site Doce Limão. Se não for, os créditos ficam...

17.12.10

TIMO, A CHAVE DA ENERGIA VITAL

No meio do peito, bem atrás do osso onde a gente toca quando diz Eu, fica uma pequena glândula chamada timo. Seu nome em grego, thymos, significa energia vital. Precisa dizer mais? Precisa, porque o timo continua sendo um ilustre desconhecido. Ele cresce quando estamos contentes, encolhe pela metade quando nos estressamos e mais ainda se adoecemos. Esta característica iludiu durante muito tempo a medicina, que só o conhecia através de autópsias e sempre o encontrava encolhidinho. Supunha-se que atrofiava e parava de trabalhar na adolescência, tanto que durante décadas os médicos americanos bombardeavam timos adultos perfeitamente saudáveis com megadoses de raios-x, achando que seu tamanho “anormal” poderia causar problemas.
Mais tarde a ciência demonstrou que, mesmo encolhendo após a infância, continua totalmente ativo: é um dos pilares do sistema imunológico, junto com as glândulas adrenais e a espinha dorsal, e está diretamente ligado aos sentidos, à consciência e à linguagem. Como uma central telefônica por onde passam todas as ligações, faz conexões para fora e para dentro. Se somos invadidos por micróbios ou toxinas, reage produzindo células de defesa na mesma hora.
Mas também é muito sensível a imagens, cores, luz, cheiros, sabores, gestos, toques, sons, palavras, pensamentos. Amor e ódio o afetam profundamente. Idéias negativas têm mais poder sobre ele do que vírus ou bactérias  já que não existem em forma concreta, o timo fica tentando reagir e enfraquece, abrindo brechas para sintomas de baixa imunidade como herpes, por exemplo. Em compensação, idéias positivas conseguem dele uma ativação geral de todos os poderes, lembrando a fé que remove montanhas.
Um teste simples pode demonstrar essa conexão. Feche os dedos polegar e indicador na posição de OK, aperte com força e peça para alguém tentar abri-los enquanto você pensa “estou feliz”. Depois repita pensando “estou infeliz”. A maioria das pessoas conserva a força nos dedos com a idéia feliz e enfraquece quando se pensa infeliz. (Substitua os pensamentos por uma bela sopa de legumes ou um lindo sorvete de chocolate para ver o que acontece...)
Este mesmo teste serve para lidar com situações bem mais complexas. Por exemplo, o médico precisa de um diagnóstico diferencial - seu paciente tem sintomas no fígado que tanto podem significar câncer quanto abcessos causados por amebas. Usando lâminas com amostras, ou mesmo representações gráficas de uma e outra hipótese, testa a força muscular do paciente quando em contato com elas e chega ao resultado. As reações são consideradas respostas do timo e o método, que tem sido demonstrado em congressos científicos ao redor do mundo, já é ensinado até na Universidade de São Paulo (USP), a médicos acupunturistas.
O detalhe curioso é que o timo fica encostadinho no coração, que acaba ganhando todos os créditos em relação a sentimentos, emoções, decisões, jeito de falar, jeito de escutar, estado de espírito... “Fiquei de coração apertadinho”, por exemplo, revela uma situação real do timo, que só por reflexo envolve o coração. O próprio chacra cardíaco, fonte energética de união e compaixão, tem muito mais a ver com o timo do que com o coração – e é nesse chacra que, segundo os ensinamentos budistas, se dá a passagem do estágio animal para o estágio humano.
“Lindo!”, você pode estar pensando, “mas e daí?” Daí que, se você quiser, pode exercitar o timo para aumentar sua produção de bem-estar e felicidade.
Como? Pela manhã, ao levantar, ou à noite, antes de dormir.
Fique de pé, os joelhos levemente dobrados. A distância entre os pés deve ser a mesma dos ombros. Ponha o peso do corpo sobre os dedos e não sobre o calcanhar, e mantenha toda a musculatura bem relaxada.
Feche qualquer uma das mãos e comece a dar pancadinhas contínuas com os nós dos dedos no centro do peito, marcando o ritmo assim: uma forte e duas fracas. Continue por três a cinco minutos, respirando calmamente enquanto observa a vibração produzida em toda a região torácica.
O exercício estará atraindo sangue e energia para o timo, fazendo-o crescer em vitalidade e beneficiando também pulmões, coração, brônquios e garganta. Ou seja, enchendo o peito de algo que já era seu e só estava esperando um olhar de reconhecimento para se transformar em coragem, calma, nutrição emocional, abraço.
Ótimo. Íntimo. Cheio de estímulo. Bendito timo.
Sônia Hirsh

14.12.10

Açúcar é uma droga?

Gente, o texto não é assim do tipo que me envolve, mas a informação é preciosa. Por isso, decidi compartilhar com vocês. Sublimem os "manu" e boa informação!
---
Bem, aqui quem vos fala é simplesmente um cidadão que recebeu um tapa na cara ao ler um livro sobre o nosso tão querido AÇUCAR - "Sem Açúcar Com Afeto" / Sônia Hirsch.
O açúcar é uma coisa tão refinada que vai direto para o sangue e causa uma série de alterações físicas e mentais no consumidor.
O açúcar dá uma certa bobeira mental, cientificamente explicada pelo encontro da insulina com um aminoácido chamado triptofano que é rapidamente convertido no cérebro em serotonina, um tranqüilizante natural. “Madame está nervosa? Dá água com açúcar pra ela que passa.” Ou não é?
Na Índia, alguns séculos antes de Cristo, os médicos usavam o açúcar como remédio. Foi só ali perto do ano 600 que os Persas bolaram a rapadura, daí começou o tráfico. Na Europa não tinha açúcar, era importado e custava muito caro e só os nobres podiam comprar: " Nada de drogas para os pobres ".
Em 1532 Martin Afonso de Souza instalou em São Vicente o primeiro engenho de açúcar no Brasil, movido a escravos, é claro; "só 20 milhões de africanos dançaram nessa empreitada".
Em 1665 a Inglaterra já importava 8 milhões de kilos por ano. Nesse mesmo ano a peste bubônica matou 30.000 pessoas em Londres, pessoas que tinham acesso ao açúcar, porque no campo, entre os pobres ninguém morreu.
Será que ninguém desconfiou da relação da nova doença e o espantoso consumo de açúcar? Já que o açúcar predispõe o corpo a infecções por causa da acidez exagerada que ele provoca. Desconfiaram, mas ficaram calados pois seria um crime de lesa-majestade insinuar que a Coroa enriquecia as custas de um vicio pernicioso. E ai ficou por isso mesmo e está assim até hoje.
É UMA VERGONHA, QUE ATUALMENTE AS AUTORIDADES DE SAÚDE PERMITAM ISSO !!!
Por volta de 1600, as autoridade inglesas sabendo que o açúcar boa coisa não era, proibiram severamente o uso do açúcar para apressar a fermentação de cerveja, É CLARO, ELES A BEBIAM !!!
EM 1792 os melhores cientistas da Europa fundaram uma sociedade anti-sacarina.
Em 1912 o DR. Robert Boesler, dentista norte americano escrevia que " ...a moderna fabricação do açúcar nos trouxe doenças inteiramente novas".
O açúcar comercial nada mais é do que um ácido cristalizado. No passado, com seu alto preço só uma minoria nobre podia utilizá-lo, contudo, agora o seu altíssimo consumo está causando a degeneração nos seres humanos e até em animais. Por exemplo: beija-flores que utilizam bebedouros de água com açúcar.
Mas... e o açúcar mascavo orgânico, o mel, também fazem mal ???
Um exemplo bem simples para podermos entender:
Um certo dia, andando pela mata, uma pessoa descobriu a cana-de-açúcar "Nossa, que delícia !!! ” e levou para sua casa.
Bom...o mano consegui chupar 3 paus de cana em meia hora e ficou com a boca cansada. Ele devia ter ingerido aproximadamente 350 ml de um líquido contendo: água, sacarose, sais minerais, vitaminas, fibras, etc... Beleza, ele conseguiu digerir numa boa. Seu pâncreas nem reclamou.
E agora, todo mundo "chupa cana?” Passado algum tempo, eis que: " Pô mano, chupar cana num é mole não...num dá pra espremer o bagaço?" E deu ... inventaram a garapa. QUE MARAVILHA !!! Opa! ...”pêra” aí, ...mas já era tarde, o mano começou a tomar garapa que nem água - 500 ml a 1 litro em 10 minutos.
Aí o Sr. Pâncreas começou a reclamar porque estava fazendo horas extras todos os dias e insulina no mano !
Um certo dia, alguém resolveu ferver a garapa, e saiu o melado de cana, muito mais concentrado: 10 litros de garapa virou um copo de melado. ”Que delicia! Vamos fazer um bolo?...Que nada vai puro mesmo!” E aí o mano virou o copo pra dentro.
Imaginando a proporção: 10 litros de garapa dentro de um copo ingeridos em 10 minutos. É gente..., o pâncreas que se cuide!
Para agravar a situação, os Persas bolaram a rapadura, ainda mais concentrada, e logo após as benditas refinações. Aí "ferrou o jegue” !
Surge então uma doença nova e mortal: a DIABETES MELLITUS que fazia as pessoas eliminarem açúcar pela urina, ou seja, vazarem pelo ladrão.
Inicia-se a era das novas doenças "a degeneração da raça humana" causada pelo mau uso do açúcar, que causa um STRESS absurdo no organismo e o pâncreas para de produzir insulina.
Não bastando ainda, causa defeitos genéticos. Por exemplo: hoje, a cada 5
crianças que nascem uma será diabética. Quando você decidir ter um filho, junte mais 4 casais e joguem palitinho para sortear qual terá o filho diabético.
Hoje existem 6,5 milhões de diabéticos no Brasil. Morrem 300.000 por ano nos EUA.
Portanto não importa se é açúcar orgânico, mascavo ou mel o problema e a super concentração de açúcar; que quando ingerida, vai depressa demais para a corrente sanguínea, queimando todas as etapas da digestão, fazendo subir o nível da glicose no sangue, aí o pâncreas é obrigado a produzir uma quantidade extra de insulina. A insulina vai lá e abaixa o nível, aí da vontade de comer mais açúcar. Sobe o nível e o pâncreas solta insulina, abaixa o nível...E assim por diante, até chegar uma hora que o pâncreas não entende mais nada. Você come um bombom seu pâncreas solta insulina para caixa inteira; é a HIPOGLICEMIA. Entre jovens e adultos, três a cada cinco tem a doença - estágio pré-diabético.
SERÁ VOCÊ O PRÓXIMO ?
Como se não bastasse tanto malefício, a acidez causada pela ingestão concentrada de açúcar predispõe o corpo à infecções (como a conjuntivite) e também à vírus e bactérias.
Se você acha isso que leu agora uma questão de opinião, então continue como está! ....Ou então pare enquanto ainda é tempo, por amor à Si PRÓPRIO, à Deus e à Natureza !
MAS NÃO PARE POR AQUI !!!! Informe-se, discuta, reflita, passe para frente, descubra soluções, alternativas, pesquise ! Afinal fomos "viciados" a centenas de anos, por pessoas inocentes que só queriam dar um gostinho mais doce para aquela vida tão amarga e preconceituosa dos nossos antepassados, que no final, por ganância e falta de escrúpulos de uma minoria, nos foram omitida a verdade sobre tão doce e perigosa droga".
Mas hoje, basta de omissão ! Queremos tudo em pratos limpos, sem demagogias, nossas crianças não podem viver assim !!! Não podem nascer assim!!!
Precisamos de clareza no cérebro e não de serotonina !
Faço um apelo aos cidadãos: POR FAVOR, DIVUGUEM !!!!
Por Paulo Gibiologica

9.12.10

Ayurveda: a mais antiga de todas as medicinas


O ayurveda promove a saúde em seu sentido mais completo por meio do retorno à unidade como a Natureza. O termo significa duas palavras sânscritas (Ayur = vida; e Veda = conhecimento). O ayurveda, ou medicina védica, integra os Vedas — a doutrina sagrada da Índia antiga, o mais antigo registro conhecido da experiência humana. Para compreender essa abordagem da medicina, é necessário antes conhecer o sistema ayurvédico, que inclui aspectos físicos, psicológicos e espirituais da vida.
Os três doshas
Também de origem sânscrita, a palavra dosha pode ser traduzida de modo aproximado como "marca", "tipo".
Considera-se que, no âmago do ayurveda, está o conceito dos três doshas — Vata, Pitta e Kapha — os três princípios básicos metabólicos que ligam a mente e o corpo. Eles têm origem na diferente mistura de pares dos cinco elementos: do éter e do elemento ar surge Vata; do fogo e de um pouco de água vem Pitta; e da água e da terra surge Kapha. Através dos elementos e dos doshas, o Ayurveda determina a natureza básica do indivíduo e estabelece uma linha de tratamento adequada e suas necessidades reais.
Em seu estado natural, ou seja, em equilíbrio, Vata mantém a energia da vontade, governa a inspiração do ar atmosférico, a exalação, o movimento, as descargas dos impulsos, o equilíbrio dos tecidos e a acuidade dos sentidos.
Quando exacerbado, Vata causa secura, desidratação, escurecimento, descoloração, tremores, distensão abdominal, prisão de ventre, enfraquecimento, insônia, redução da acuidade sensorial (visão, audição, tato, paladar e olfato), incoerência ao se expressar e fadiga. Vata localiza-se no cólon (que é a sua sede) e onde ele tende a se acumular quando em desequilíbrio, nos quadris, coxas, ouvidos, ossos e no sentido tato.
Pitta, em condições normais, é responsável pela digestão, pelo calor, pela percepção visual, pela fome, sede, pelas condições da pele, pela suavidade externa do corpo, pela inteligência, determinação e coragem.
Quando exacerbado, causa coloração amarelada da urina, das fezes, dos olhos e da pele; pode também provocar fome e sede excessivas, sensação de queimação em qualquer parte do corpo e dificuldade para dormir. Pitta situa-se no intestino delgado (sua sede), no estômago, no suor, no tecido gorduroso, sangue, plasma, linfa e no sentido da visão.
Kapha, por sua vez, é responsável pela firmeza e pela estabilidade, pela manutenção dos fluídos corporais, pela lubrificação das articulações em geral, pelas emoções positivas como paz, amor e compaixão.
Quando exacerbado, reduz a capacidade digestiva e provoca a acumulação do muco, sensação de cansaço, de frio, de peso, palidez, dificuldade de respirar, tosse e um desejo excessivo de dormir. Kapha localiza-se no peito (sua sede), na garganta, cabeça, pâncreas, costelas, estômago, nariz e língua.
O ritmo biológico e os doshas
Hoje, conhecemos o ritmo biológico de numerosos parâmetros da vida, como por exemplo: temperatura do corpo, atividades hormonais no sangue etc.
Ayurveda considera diversos biorritmos, tais como ciclo diário, bem como a influência das estações e estágios da vida nos processos fisiológicos.
Levando em consideração a constituição individual, o Ayurveda recomenda rotinas diárias e sazonais baseados na variação dos doshas, seguindo alterações na natureza ou no organismo do indivíduo. O objetivo destas rotinas é evitar qualquer desequilíbrio fisiológico, especialmente nas épocas de transição.
A tabela abaixo mostra os períodos de exacerbação dos três doshas ao longo do dia.

Tratamento das doenças causadas pela exacerbação dos doshas
Vata:
Bebidas, alimentos e medicamentos (que são: oleosos, quentes, estáveis, afrodisíacos, tônicos, salgados, doces, azedos) óleos, exposição ao sol, banhos, massagem, enema, inalação, sono, descanso, ungüentos quentes.
Pitta:
Bebidas, alimentos “ghee” (manteiga derretida) e medicamentos (amargos, doces e adstringentes), vento frio, sombra, noite, hidroterapia, exposição ao luar, terapia com argila, laxantes, retirada de sangue.
Kapha:
Bebidas, alimentos e medicamentos (alcalinos, adstringentes, amargos e picantes) exercícios, atividade sexual, caminhadas, jogos aquáticos, exposição ao sol e calor, eméticos, compressas quentes.
Quando os doshas estão em estado irregular, ocorre doença ou “roga.” “Arogya” (sem “roga”) significa “com boa saúde.” O equilíbrio dos três doshas promove perfeita saúde.
Os três doshas criadores da realidade
Quando um médico ayurvédico observa o doente, procura sinais dos três doshas em todo o organismo, mesmo que não possa enxergá-los literalmente, porque os doshas são invisíveis. Eles governam os processos físicos do corpo, mas não são propriamente físicos. Costumamos chamá-los de “princípios metabólicos,” um nome abstrato. Mas ao aumentarem ou diminuírem, podem prender-se a certos tecidos ou mudar para partes do corpo que não são sua área. Estão na fronteira do mundo físico. Como ficam no espaço entre a mente e o corpo, não se parecem com nada que exista em nossa medicina ocidental. Vata, Pitta, Kapha só entram em foco quando começamos a observar-nos de uma perspectiva ayurvédica.
____
por Dr. Bokkula Ramachandra Reddy. extraido de: http://www.taps.org.br/Paginas/terartigo10.html

3.12.10

Medicina Indiana é o futuro! por Dr Partap Chauhan* - publicado no site do centro de medicina indiana do rio


A vida moderna nos oferece muito conforto e luxo. O ritmo de vida tem aumentado constantemente, especialmente nas últimas duas décadas. Novos gadgets e equipamentos foram inventados para nos ajudar a trabalhar mais rápido e viajar para lugares distantes em um curto espaço de tempo. A tecnologia nos permitiu trabalhar mais em menos tempo e crescer materialmente. A revolução cibernética eliminou fronteiras e há mais oportunidades para o crescimento econômico. A medicina moderna muniu-se de ferramentas diagnósticas e terapêuticas potentes, capazes de identificar doenças com bastante precisão e, em muitos casos, suprimi-la.
Todas essas maravilhosas invenções dos tempos modernos foram originalmente descobertas para enriquecer nossa vida com saúde, felicidade e paz. Curiosamente, os resultados são totalmente opostos. Em nossa busca pela felicidade, saúde, paz e amor, encontramos mais doenças, distúrbios mentais, infelicidade e solidão. Isso significa que estamos indo na direção errada ou então não estamos identificando a raiz do problema.Caso contrário, estaríamos alcançando aquilo pelo qual lutamos... É hora de respirar fundo, relaxar e pensar para onde estamos indo.
Saúde não é apenas a ausência de sintomas ou desconforto físicos. O Ayurveda define a saúde como um estado de completo equilíbrio num nível físico, mental e espiritual. Enquanto o mundo moderno nos oferece soluções para o conforto do corpo e dos sentidos, essas "soluções" são realmente perturbadoras para a mente e são frustrantes para o espírito. Quando a mente está perturbada e há falta de amor em nossas vidas, são criados bloqueios e desequilíbrios em órgãos e sistemas físicos. É por isso que os nossos esforços para tornar-mo-nos saudáveis não estão funcionando e um caminho para resolver nossos problemas é Ayurveda, a medicina tradicional indiana.
O Ayurveda é definido como uma combinação de corpo, mente, sentidos e espírito. Cada um de nós tem um corpo, uma mente e um espírito, mas quase nada sabemos sobre eles. É como se estivéssemos dirigindo um carro sem saber muito sobre como ele funciona, qual tipo de combustível é o mais indicado ou, até mesmo, sem uma licença de motorista. O que aconteceria em tal situação? Certamente resultaria em grande número de acidentes! Isto é o que está acontecendo em nossas vidas. Não sabemos o quanto comer, quando e o quanto dormir, como relaxar a mente, como nutrir as emoções, como nos relacionarmos e qual o melhor alimento para o espírito. Tal como o exemplo do carro, temos também "acidentes", como diabetes, hipertensão, doenças auto-imunes, divórcios, depressão, traumas emocionais.
Como se vê, hoje as nossas doenças não estão limitadas apenas ao corpo. Mais e mais pessoas estão sofrendo nos níveis mental e emocional. Para tratar essas doenças é preciso enfrentá-los no local de sua origem. Nós não somos ainda capazes de suprimir os sintomas físicos de doenças porque são alimentados a partir de um nível sutil. Se queremos ver um mundo saudável, isso vai acontecer apenas através do Ayurveda, porque este é o único sistema médico, que atende ao ser humano em sua totalidade (corpo, mente, emoções, espírito).
Vai demorar mais alguns anos até que o mundo perceba o poder maravilhoso do Ayurveda. O que muitos não sabem é que a maioria dos sistemas médicos existentes está enraizada no Ayurveda, "mãe" de todos os sistemas de saúde. A medicina indiana não se limita apenas ao óleo de massagem (abhyanga) e ao shirodhara como a maioria das pessoas pensa. Ao contrário, abre um leque de soluções em todos os níveis do indivíduo e identifica soluções coerentes e de acordo com as necessidades de cada um.
--------------------------------------------------------------------------------
* Dr. Partap Chauhan (BAMS) formou-se em Ayurveda na Universidade de Delhi, Índia, estudando posteriormente com o renomado mestre do Ayurveda Sri Nanak Chand, especialista em Rasa Shastra. Embora pratique uma ciência médica muito antiga, Dr. Chauhan otimiza o uso de tecnologia moderna com o objetivo de levar o Ayurveda a todos os lugares do mundo. Ministra regularmente palestras e workshops em mais de 30 países.

1.12.10

Ioga pode melhorar o sono e reduzir fadiga de pessoas com câncer. Publicado no blog do Dr. Ruguê em 08/06/2010


A prática de ioga pode ser benéfica para pessoas que já tiveram câncer, pois ajudam esses pacientes a dormir melhor e a ter mais energia, segundo estudo que será apresentado em junho no Encontro Anual da Sociedade Americana de Oncologia Clínica. Avaliando mais de 400 sobreviventes do câncer – a maioria tratada com quimioterapia para o câncer de mama -, os especialistas notaram que aqueles que passaram a praticar Hatha ioga e ioga restaurativa duas vezes por semana conseguiram, em um mês, largar os remédios para dormir, e apresentavam qualidade de sono 22% melhor do que aqueles que não participaram das aulas, que incluíam exercícios posturais e respiratórios.
Os resultados indicaram, ainda, que a ioga poderia reduzir a fadiga pela metade e levar a pequenos aumentos na qualidade de vida. “Temos uma intervenção estudada, uma que tem sido submetida a testes clínicos e, vejam só, parece ser benéfica”, destacou Douglas Blayney, presidente da Sociedade e pesquisador não envolvido com este estudo. No entanto, segundo o especialista, clínicos e oncologistas, frequentemente, se sentem desconfortáveis em aconselhar os pacientes o uso de terapias que são complementares ao tratamento padrão contra o câncer.
Leia o trabalho no WebMD – em inglês

Yoga no tratamento da fibromialgia. Publicado 19/10/2010, no blog do Dr. Ruguê

Todos nós que praticamos Yoga temos uma clara percepção dos efeitos da prática sobre a saúde. Métodos simples, fáceis, harmoniosos, nos reequilibram, promovem a saúde e a longevidade e, também, trata doenças estabelecidas. Em nosso esforço de demonstrar trabalhos científicos reconhecidos sobre o tema, apresento aqui uma pesquisa publicada na respeitada revista médica Pain, realizado por pesquisadores da Universidade de Ciência e Saúde de Oregon – USA.
Prática de ioga pode reduzir sintomas de fibromialgia, indica estudo:
Alongamento, meditação e respiração controlada podem ajudar as pessoas que sofrem com as dores musculares e articulares que caracterizam a fibromialgia. Em estudo com 53 mulheres com fibromialgia, pesquisadores da Universidade de Ciência e Saúde do Oregon, nos EUA, observaram bons resultados da participação dessas pacientes em um programa integral de ioga – incluindo 40 minutos de alongamentos leves, 25 min de meditação profunda, 10 min de exercícios de respiração, 20 min de apresentação sobre os princípios da ioga e 25 min de debate das experiências das participantes com a prática.
Publicados recentemente na revista científica Pain, os resultados indicaram que aquelas que participaram do programa apresentaram maiores benefícios na redução dos sintomas da doença, incluindo dor, fadiga, problemas de sono e distúrbios de humor, comparadas àquelas apenas em tratamento padrão. Além disso, as “iogues” aumentaram sua capacidade de realizar as tarefas cotidianas e apresentaram melhores estratégias de enfrentamento da doença.
“Embora a ioga venha sendo praticada há milênios, apenas recentemente os pesquisadores começaram a demonstrar seus efeitos em pessoas que sofrem de dores persistentes”, destacou o pesquisador James Carson. “As descobertas desse estudo piloto oferecem um promissor apoio preliminar para os efeitos benéficos da ioga em pacientes com fibromialgia”, concluiu.
Veja o texto original em inglês: http://www.webmd.com/fibromyalgia/news/20101014/yoga-eases-fibromyalgia-pain

27.11.10

Pequenas mudanças de hábito ajudam a acabar com o cansaço do dia a dia - Publicado em O Globo em 26/11/2010 às 08h54m


Descanse.
RIO - Se o cansaço não está ligado a nenhuma doença, é possível melhorar os níveis de energia no dia a dia fazendo algumas mudanças na rotina e na dieta. A atividade física também é importante. Pessoas sedentárias reclamam mais do cansaço do que as ativas. Bastam 20 minutos de exercício três vezes por semana para reverter o quadro. Confira abaixo as principais causas da fadiga no cotidiano e saiba como tratá-las:
Dormir pouco - É a causa mais óbvia, e a primeira que as pessoas tentam remediar quando sentem-se esgotadas. Diversos estudos mostram que dormir pouco afeta a concentração e a saúde. Se a dificuldade para dormir está ligada à ansiedade ou dura há mais de uma semana, o ideal é procurar um médico. Só ele poderá diagnosticar corretamente o problema.
Apneia - Respirar mal durante o sono - ou até ficar alguns segundos sem respirar - afeta diretamente a disposição no dia seguinte. A maioria das pessoas nem sabe que tem a condição, que pode aumentar o risco de diabetes, pressão alta e doenças cardiovasculares. Parar de fumar e emagrecer costumam reduzir a apneia, mas muitas vezes é necessário fazer tratamento médico.
Dietas restritivas - Não comer direito, ou se alimentar com os alimentos errados, causa um grande desgaste ao organismo. Isto porque a falta de comida (ou o excesso de açúcar e produtos refinados) altera os níveis de açúcar do sangue. Coma pelo menos três refeições por dia que combinem proteínas, carboidratos, frutas ou verduras e só faça dietas com orientação de um profissional da área.
Anemia - O distúrbio é a principal causa da fadiga em mulheres na idade fértil. A perda de sangue durante a menstruação pode causar a deficiência de ferro, uma das principais causas da anemia. O mineral é fundamental para levar oxigênio para o sangue e para os tecidos. Consulte seu médico sobre a possibilidade de tomar um suplemento de ferro e invista em alimentos ricos na substância, como fígado, feijão, mariscos e cereais fortificados.
Depressão - A tristeza e o desânimo que não passam também causam uma série de problemas físicos. Dor de cabeça, perda de apetite, sonolência, cansaço e falta de ânimo fazem parte do quadro. Se os sintomas não melhorarem após duas semanas, é hora de consultar um médico.
Hipotireoidismo - A tireoide é uma pequena glândula que fica na base do pescoço. Ela é responsável pelo metabolismo, que controla a velocidade com que o corpo converte os alimentos em energia. Quando ela está pouco ativa, o metabolismo fica lento. Com isso, as pessoas ganham peso, retêm líquidos e ficam mais desanimadas. Um simples exame de sangue comprova o problema, que costuma ser facilmente tratado com medicamentos.
Excesso de cafeína - Chá, café, refrigerantes e mate, em doses adequadas, aumentam a disposição e a concentração. Só que em excesso (geralmente mais que duas xícaras de café ou duas latas de refrigerante por dia) aumentam os batimentos cardíacos, a pressão e o nervosismo. Se este é o seu caso, reduza o consumo aos poucos.
Doenças cardíacas - Perder o fôlego ou ficar cansado ao limpar a casa, cozinhar ou cuidar do jardim pode ser sinal de que algo não vai bem com o coração. Consulte o médico e elimine a possibilidade de doenças cardiovasculares.

26.11.10

não podemos deixar de "imaginar" e nem que as lágrimas brotem...

Imagine
John Lennon

Imagine there's no heaven
It's easy if you try
No hell below us
Above us only sky
Imagine all the people
Living for today
Imagine there's no countries
It isn't hard to do
Nothing to kill or die for
And no religion too
Imagine all the people
Living life in peace
I hope some day
You'll join us
And the world will be as one
Imagine no possessions
I wonder if you can
No need for greed or hunger
A brotherhood of man
Imagine all the people
Sharing all the world
You may say,
I'm a dreamer
But I'm not the only one
I hope some day
You'll join us
And the world will live as one
...
essa música depois do dia que tivemos ontem, aqui na cidade e depois do dia [maravilhoso] que tive ontem com algumas amigas, construindo junto, uma rede para trabalhar por um mundo novo de amor, comunhão e de paz!
E essa era exatamente a minha história:
"You may say
I'm a dreamer
But I'm not [more] the only one
I hope some day
You'll join us [me]
And the world will live as one"
não estou mais só nesse "imaginar"!
...
o floresSer floresceu!!!
om sri maha Ganapataye namaha!!!

23.11.10

tecendo uma rede em prol do despertar.

amizade também pode ser amor!


Sabe, eu não quero que você faça nenhum esforço. Por favor não se cobre em oferecer alguma coisa que você não possui: a vontade de prosseguir.
Eu tava aqui pensando em umas coisas e me veio a palavra amor.
Não estamos prontas para o amor. Não para aquele amor verdadeiro, aquele amor que transpassa, aquele amor que aceita, aquele amor que se entrega.
Muitas vezes dissemos uma para outra que nos amávamos. Mas era ilusão!
Tínhamos uma relação de amizade, onde não há a corrente dos laços de família, nem uma relação sexual, nem de profissão, nem laço nenhum tipo. Não deveria haver obrigação. Éramos amigas por opção e estávamos uma ao lado da outra porque queríamos.
Mas havia alguma coisa que nos unia e provavelmente era uma busca, uma na outra, por alguma coisa que faltava em nós mesmas! Geralmente é assim. Buscamos fora e por isso houveram as decepções de ambos os lados.
Projetamos uma na outra alguma coisa que falta dentro.
Faltou também uma clareza sobre o que estava em jogo: uma pessoa sem amor-próprio não pode dar amor à ninguém, porque não o possui!
Você me falou tantas vezes em falta de amor meu por mim mesma e da minha baixa auto-estima, me abrindo os olhos...
Se iludiu em esperar amor de mim e ainda mais amor do jeito que você idealiza que ele seja. Eu, do meu lado, te ofereci amor, sem saber que realmente não faço idéia [ainda] do que se trata...
Mas não devemos nos cobrar por termos falhado: a falta de amor é uma epidemia mundial!!! A maioria das pessoas não tem amor [de verdade] a oferecer, mas espera amor [de verdade] do outro!
É bem nesse momento que as relações, qualquer uma delas, se rompem: quando as ilusões vêm a tona e verificamos que o outro não é quem idealizamos e não tem amor [de verdade] a oferecer.
Daí em diante é necessário tornar alguns limites mais elásticos, quebar alguns padrões, entrar em contato com suas próprias ilusões e projeções para prosseguir na construção de uma relação baseada em clareza e tentativa de dar e oferecer amor de verdade.
Mas é muito difícil seguir. Incomoda, traz desconforto, nos coloca em contato com nossas imperfeições...
Não sei o que tem depois disso: quando a outra perte esteve firme, eu dei pra trás e quando estou disposta, a outra parte não está...
Ainda não encontrei ninguém disposto a atravessar essa fronteira ao meu lado no momento que também estou.
Essa é a minha dor, agora. Apenas essa: ainda não foi dessa vez!
Passou por mim mais uma oportunidade de me aproximar do amor verdadeiro!
Fica bem também.
Seguimos na trilha sagrada, na ciranda da vida, sem a chance de encontrar o amor verdadeiro, mas seguimos, enfim.
Um beijo,
Camila

18.11.10

a saúde no ayurveda

o conceito de saúde segundo o ayurveda apoia-se em três pilares fundamentais:
  • sexualidade;
  • alimentação e;
  • sono.
...veja detalhes em breve...

7.10.10

sombra e luz

tentei fugir de mim, mas quanto mais longe eu ia mais eu me encontrava...

30.9.10

esclareSer

Meu ciclo aqui na Arca se encerrou ontem. Apesar de eu ter vindo para cá com minha mudança e tudo, a proposta era que eu experimentasse a vida em comunidade por um ano. E eu ia seguir adiante nos esclarecimentos [a mim mesma], mas já empaquei na primeira frase: se eu vinha experimentar uma coisa que nem conhecia por um prazo determinado, então porque carreguei nas costas a minha mudança por 1600 km???
O fato de ter trazido a minha mudança antes desse prazo expirar teve, com certeza, bons motivos:
# queria estar aqui por inteiro e não sentir falta de nada que me daria a sensação de não estar no meu lar. Nem a mim e nem a Samuel que já tinha passado tanta privação por não estar com os livros e com os brinquedos dele no primeiro semestre do ano;
# queria de algum modo gerar em mim mesma alguma forma de comprometimento, pois sei que a coisa que mais necessito neste momento é de criar raiz!;
# minha mãe queria vender sua casa, onde eu tinha deixado toda a minha mudança e pediu para que eu tirasse tudo de lá;
Na-na-ni-na-não. O mundo da superfície dificilmente é o que parece ser...
Analisar os meus aparentes motivos para ter cometido esse "equívoco" me faz chegar às causas verdadeiras de tudo isso... E, percebo, com perplexidade, que a ciranda continua sua gira e que na roda vão as mesmas canções de sempre. Nada de novo!
E chego, então, nas causas profundas e verdadeiras:
# sentimento de incompletude; falsa crença de que a completude possa ser alcançada por algo externo; fé errática no caminho que escolho e pouca fé em mim mesma e na vida, por alterar a escolha central [experimentar a vida em comunidade por um ano] ou enfeitá-la com adornos não-essenciais [no caso, a mudança];
# ansiedade e necessidade de controle e mais uma vez, falta de fé na vida. Necessidade de querer garantir o futuro, ou ter a falsa segurança de que as coisas irão chegar aonde eu quero [criar raiz]; falta de entrega e aceitação [do que tiver que ser];
# sensação de falta de apoio; sensação de abandono e de estar sozinha no mundo. Separação.
Portanto, nada de novo! Não considero que tenha havido um erro em ter vindo para cá. Propus-me a experimentar a vivência em comunidade, mas, de fato, trouxe os meus ranços junto e nesse sentido, sim, há algo errado.
Cometer as mesmas ações esperando que causem reações diferentes é o princípio da insanidade!
Portanto, para sanidade fazem-se necessárias três pontuações muito importantes:
  1. Identificar os padrões negativos, o que já é uma árdua tarefa, mas não basta;
  2. Transformá-los em sua essência, o que é uma profunda tarefa de auto-conhecimento e auto-investigação que exige uma vigília sem tamanho e uma clareza de visão que talvez te exija também um foco de intensidade a nivel transpessoal;
  3. Anular este padrão, o que quer dizer, identificá-lo enquanto pensamento, ou seja, antes mesmo que se torne uma ação.
E isso, eu pude constatar agora, que ainda não consigo fazer... Mas ok, vou guardar o chicote, porque ainda por cima não adiantaria nada mesmo...
O que ficou de fato é que tenho esse montão de lição de casa pra fazer. E 1600 km pra voltar com tudo, além de faltar também decidir para onde... Ou se vou, dessa vez só com a roupa do corpo, comigo mesma e com Samuel...

21.9.10


TERAPIAS DE HARMONIZAÇÃO DOS DOSHAS
  • alimentação e nutrição ayurvédica;
  • aromaterapia ayurvédica;
  • arquitetura védica para harmonização dos donos e da habitação;
  • aconselhamento ayurvédico e mudança comportamental;
  • rotina diária;
  • rotina sazonal;
  • fitoterapia ayurvédica;
  • massoterapia ayurvédica[abhyanga, pedras quentes, garshana, shirodhara, entre outras];
  • marmaterapia;
  • yogaterapia ou a aplicação dos asanas, pranayamas e meditação para o equilíbrio dos doshas e dos cakras.


 ::Consumo Consciente::
. RECUSAR . REDUZIR . RECONDICIONAR . REUTILIZAR . RECICLAR . REPENSAR . RESPEITAR .

Muitos produtos que usamos em nosso dia-a-dia são carregados de substâncias tóxicas e, em sua grande maioria, fabricados por gigantes multinacionais preocupadas só com lucros, aumentando diferenças sociais e a degradação acelerada da natureza.
Não ignoremos nosso poder de escolha sobre aquilo que consumimos.
VENHA APRENDER A FAZER os produtos que usamos no dia-a-dia com receitas simples e práticas!
  • Sabão para máquina de lavar roupa, sabão de óleo vegetal saturado, produtos de limpeza não agressivos;
  • Xampu, pó dental, desodorante não agressivo;
  • Aromatizadores e perfumes naturais de ervas,
  • Sabonete, pomada de ervas, produtos naturais ayurvédicos;
  • Alimentos com sementes germinadas [brotos];
  • Hidromel [bebida fermentada de mel], entre outras diversas receitas!
  • Reduza seu consumo - busque satisfação nas relações e não consumindo produtos.

Recicle o seu lixo até não ter mais opção e avalie se o seu consumo é mesmo necessário.

Dê preferência a produtos o menos industrializados possível e aos fabricados o mais próximo de você, evitando produtos de multinacionais, pois elas levam os recursos para fora do país e enfraquecem a economia local.

Consuma alimentos orgânicos - cuide da sua saúde e evite os caríssimos e viciantes remédios da mafiosa indústria químico-farmacêutica.

Respeite o processo natural da vida e celebre a sua idade e as marcas do tempo que surgem em você.

Respeite também o processo gradual de consciência em relação ao consumo em você e nos outros e, desta forma, não adquira o rótulo de ”eco-chato”! 

17.9.10

...amor consciente amor...


a vida é cheia de sutilezas que de tão sutis quase não conseguimos percebê-las...
ando sentindo-me bastante estranha, bastante confusa, sem rumo. não tenho mais nada que me prenda a uma rotina que não me faça feliz e às vezes isso contribui para não saber ao certo o que fazer! bizarro paradoxo, mas enfim...
minha casa que normalmente trago arrumada já anda uma certa bagunça, com roupas jogadas por todos os lados, da mesma forma que tenho feito com certas coisas dentro de mim, jogando de qualquer maneira, aceitando de qualquer forma, colocando em qualquer lugar. certo é que me falta algo, alguma conexão, lembrar e aplicar algum ensinamento. e neste momento que trago isso claro pra mim lembro de um trecho de um livro li e que nem gosto muito do autor, mas que falava que ao invés de resistirmos a qualquer coisa que não nos agrade por medo do confronto, a melhor maneira de dispersarmos o que quer que seja, é entrar nesta coisa completamente, seja ela uma emoção, uma sensação, um sentimento. é abraçar com todo braço, mergulhar de cabeça e enxergar através da nossa própria resistência! e de tão perdida que tenho me sentido, não tenho encontrado nem o “buraco” onde mergulhar...
mas agora a pouco entrei num pranto intenso e profundo, sem palavras, conduzida por uma música que me levou a algum lugar que eu não estava conseguindo ir sozinha. o que eu tive que ir buscar lá em palavras não consigo traduzir o que seja, mas, de qualquer forma, posso perfeitamente falar que voltei sentindo-me diferente!
quem tá na foto acima é uma das minhas irmãs. quando ouvi a música lembrei-me do seu sorriso. da última vez que ouvi esta música, aliás era a primeira vez que a ouvia, ela estava comigo e estávamos celebrando a vida, as conquistas, as perdas, as trajetórias nem sempre felizes, mas sempre de crescimento, e é claro, a companhia uma da outra e da nossa família. de certa forma estávamos celebrando também uma despedida, porque em poucos dias eu ia me mudar pra longe e ficaríamos um bom tempo sem um momento tão lindo como aquele!
a música falava de um amor muito especial e verdadeiro entre uma neta e uma avó que voltava a habitar a consciência cósmica. falava em apego também e em como era difícil seguir a diante sem ele, o apego, e sem ela, a avó. essa avó havia dado a essa neta todo o amor que ela tinha e na música isso tudo vinha: “...se queres partir, ir embora, me olhas da onde estiver, que eu vou te mostrar que eu to pronta, me colha madura do pé...”, “...cila, pode ir tranqüila, teu rebanho tá pronto!...” , “...me mostra um caminho agora, um jeito de estar sem você, o apego não quer ir embora. diacho, ele tem que querer!...”.
chorei. a essência é algo que me comove verdadeiramente...
aceitei aquele pranto e ainda não fiz questão de definir em uma palavra o que foi. sei que vieram muitas sensações que talvez eu estivesse inconscientemente tentando evitar: a sensação daquele dia, de estar em família, de estar feliz com todos junto; a sensação das crianças felizes juntas; a sensação de perceber que a casa nova que minha irmã montava ganhava vida, aliás, como tudo o que colocamos nossa energia ganha; a sensação da gente dançando - dançamos muito aquele dia - e veio também a sensação de tudo o que a dança me deu; veio a sensação de ter uma amiga muito querida que mesmo de longe preenche e constrói comigo minhas subidas e descidas; a sensação de uma outra amiga, que de longe, já não está mais; a sensação de um menino quase homem que existiu e existe ainda hoje nas minhas fantasias, lembranças e recordações... e isso me levou de novo à dança, que me levou à outras sensações, que me levaram aonde eu tinha que ir e nem sabia que tinha e nem sabia como e nem sabia onde...
voltei deste transe não me sentindo sozinha, não me sentindo separada, não me sentindo distante... os amo, agora, consciente que os amo com muito amor.
estão todos - e tudo - aqui ao meu lado, junto, bem junto, a mim e a Samuel, fazendo parte da trilha e construindo o Ser.

13.9.10

desunião

hoje tive aula no curso que estou fazendo de formação em vinyasa yoga e para embasar o tema foi abordado o significado da palavra yoga. em suma quer dizer união, comunhão, então, neste sentido, passamos a tarde toda falando de união e muito contra qualquer expectativa que eu pudesse ter criado em relação ao curso, saí de lá com uma sensação de solitude, incompletude, desconexão...
a aula terminou às 17:30hs e atravessei o espaço onde estava sendo dado o curso e vi que chovia muito. chovia e fazia frio. saí pelo portão e fui andando na calçada em direção ao ponto de ônibus. neste momento, olhei ao redor, levemente para cima e eram prédios, carros, árvores e pessosas andando de um lado para outro. não parecia haver nenhum sentido em nada daquilo! pensei com grande espanto: nossa, que estranho, porque esta sensação agora?
sou do rio de janeiro mas estou morando no rio grande do sul. neste final de semana estou em porto alegre por conta do curso. o cenário que se configurava naquele momento parecia-me familiar, foi quase um deja vu: a paisagem, eu não reconhecia e não me trazia nenhuma referência; a noção de lar parecia algo de um reino muito distante; aquele frio me fazia contrair e isso bloqueava o fluxo e eu só podia desejar profundamente voltar para casa...

29.8.10

realidade

não é incrível que por mais que tenhamos os olhos abertos ainda não consigamos enxergar? não é incrível que a mais tola realidade possa ser transfigurada bem diante dos nossos olhos e isso possa causar distorções tamanhas em nossa capacidade de percepção, conscientização e absorção dos fatos?
quanto mais me aproximo de tentar definir o que é realidade mais vejo que me afasto de fazê-lo com sucesso... neste exato momento sinto-me no estreito limiar do topo e do fundo do abismo que separa a sanidade da clarividência e a loucura da neurose...
no dicionário, realidade pode ser definida de forma bem simples: “qualidade do que é real; aquilo que existe realmente”. mas as definições práticas não são tão simples assim... esse assunto não é novo aqui dentro de mim e também não é novo aqui no blog! mas sempre é com novas sensações e experiências pessoais que retorno a este ponto e consigo encontrar a inspiração que faltava há meses para dedicar um dia lindo desses de chuva a escrever sobre o que vive intensamente em meu mundo real interno e profundo e compartilhar com vocês.
nesse momento estou em casa, de frente para o lago pensando na possibilidade de me conectar com o porque de tudo isso... estou num estado bem filosófico... vejo, daqui uma realidade bem linda, sólida e estável. estou só na minha sala, meu filho dorme tranqüilo no quarto e olho para o lago. isso é real.
se olho para a janela a minha frente vejo a vida na casa ao lado.
na casa ao lado tem uma pessoa que mora só e que, pode ser que também olhe o lago neste momento e enxergue também, através da paisagem da sua janela, a sua própria realidade. entre a minha casa e a dela, sem muros ou cercas de isolamento, provavelmente existe um espaço onde nossas individuais realidades possam conviver, possam permear-se ou limitar-se onde possa ser alicerçada uma realidade da nossa vizinhança, ou uma realidade da nossa amizade. isso me lembra de uma outra realidade que são as relações...
moro numa comunidade onde dividem-se entre casais e solteiros, além dos espaços comunitários [realidades comunitárias], também outras cinco realidades individuais [os chalés dos moradores].
neste momento, agora, uns minutos mais tarde de quando iniciei a escrever este post, a vida já acontece lá fora e nossas relações já estão a todo o vapor pelo quintal, pelos chalés, e pelos espaços comunitários.
a vida em comunidade em alguns momentos parece nos conduzir ao caos onde convivem diversas e diversas realidades e me dou conta de uma pergunta que se faz fundamental para mim: porque???
porque viemos conviver todos juntos, com esse enfrentamento tão constante e íntimo de realidades? porque nos colocamos nesta situação? será que estamos aqui para abrirmos mão de nossas próprias realidades individuais? será que para construirmos uma realidade coletiva que funda todas as outras? será que para superarmos esta aparente necessidade real da realidade coletiva e preservarmos as individuais?
ou, ainda mais grave: será que estamos aqui por incapacidade de construirmos sozinhos, cada um a sua, realidade individual e como conseqüência natural disso a real integridade do Ser? viver em comunidade é sermos muletas uns dos outros? isso é oferecer apoio?? isso é saudável? é a harmonia da inconstância ou a instalação caótica?
é sanidade ou é loucura????

12.7.10

o caminho do yoga

inspirada por mais um semear, compartiho a refelxão para preenchimento de um questionário. a pergunta é: "o que é yoga para você?"
--
Pelo que pude experienciar, o hatha yoga é a porta de entrada, o marco inicial que nos revela o caminho do yoga. Este caminho é irreversível e nos conduz de volta a nossa essência, que é plena de paz, de luz, de sabedoria e de felicidade. Entrar em contato com esta essência nos torna pessoas mais centradas, mais objetivas, mais calmas e por conta disto nos dá bem estar físico, mental, emocional e proporciona a cura para muitos males da vida moderna.
Yoga é muito mais do que a prática de ásanas. É levar esta prática também para fora do tapetinho, para o nosso dia-a-dia, para o trabalho, para a família, para a forma com que lidamos com situações banais e rotineiras até problemas relacionados com a vida e com a morte. É termos consciência de nós mesmos, da forma que nos alimentamos, da música que ouvimos, dos pensamentos que cultivamos, de nossas palavras e de nossas ações conosco mesmos e com os outros, e até mesmo da nossa postura em relação ao planeta!
É um compromisso com a união e com a não-violência de todas as formas, com a verdade e com a pureza física, mental, emocional e energética.
Yoga é um grande compromisso de vida, pela vida e para a vida!